FIRE em 6 anos – o meu plano

O meu plano para a independência financeira em 2030, daqui a 6 anos, foi traçado seguindo o passo-a-passo que partilhei aqui.

Em 2021 partilhei este artigo, com os dados da altura, e no final de 2022 atualizei os números. Um pouquinho mais de um ano depois, volta a haver diferenças significativas 🔥

OS MEUS NÚMEROS

Situação atual (estimativas 2024)

Rendimentos anuais – 40.000 (+5.000€)

Despesas – 12.040 € (+0€)

Poupança – 27.960 € (+4.960 €)

Networth: 127.000 € (+65.000€)

Valor FIRE

O valor FIRE estimado à data de hoje, tendo em conta a minha estratégia de proteção, é de 324.000 €.

300.000 € estarão investidos e 24.000 € serão a almofadinha para me salvar de crises e quedas no mercado e estarão, portanto, paradinhos em produtos de risco mínimo.

O MEU PLANO

O meu ponto de partida, essencial para traçar qualquer plano, é:

  • zero dívidas
  • perfil de investidor arriscado
  • fundo de emergência de 3000€ criado
  • zero objetivos a curto/médio prazo que exijam planeamento financeiro (não tenho plano de comprar casa, carro, etc)
  • poupança média mensal de 2330€ 100% alocada ao objetivo FIRE

Com base no meu perfil de investidor e gostos pessoais, decidi que a distribuição do meu portefólio seria a seguinte:

Em dinheiro tenho apenas o fundo de emergência, com o único objetivo de dormir descansada (não espero qualquer retorno, mas na verdade neste momento está a render 4% na Trade Republic). Esta percentagem irá ser cada vez mais pequena à medida que o networth aumentar, porque o valor é fixo e igual a 3000 €.

No PPR invisto o valor suficiente para ter o máximo reembolso no IRS e considero um retorno médio de 5,5%, com base nos valores históricos.

Em criptomoedas tenho no máximo 10% do meu portefólio (neste momento está superior por causa da grande subida dos últimos tempos. Vou deixar estar) e estimo um retorno de 10% (atualmente é bastante superior, mas é necessário contar com os ciclos e com a estabilização de preços).

P2P ocupa 22% do meu portefólio, com retorno médio esperado de 10%.

Os ETFs de ações são o maior ativo do meu portefólio, com 43% do seu valor total, e um retorno esperado de 10% (com base em valores históricos). Os ETF de Obrigações ocupam 8% do portefólio.

Tendo em conta a distribuição do portefólio e as rentabilidades assumidas, o retorno esperado do meu portefólio é de 8,0%.

Assumindo inflação de 2%, o retorno efetivo esperado nestas condições é de 6,0%.

ATINGIR O OBJETIVO

Para saber o valor futuro dos nossos investimentos tendo em conta uma determinada taxa de retorno, podemos fazer o cálculo numa folha de Excel ou então usar um simulador online.

Com um valor de partida de 127.000 € e reforços posteriores de 2.330 € por mês, o valor resultante ao final de 6 anos com retornos médios de 6,0% é de 375.182 €.

Os valores futuros dependem do retorno do mercado, que não é garantido. Um retorno de 8% resultaria num valor acumulado de 406.646€ em 6 anos enquanto que um retorno de 4% significaria 346.153€ em 2030.

Com os valores considerados na simulação atinjo o FIRE em fevereiro de 2029.

Há muitas suposições neste plano. O dinheiro que vou conseguir poupar, o retorno do mercado, o estilo de vida que irei ter daqui a 6 anos… Os prazos podem ser diferentes para desvios em cada uma destas categorias:

  • Retorno de investimentos 2% superior: FIRE 5 meses antes
  • Retorno de investimentos 2% inferior: FIRE 7 meses depois
  • Poupança mensal 200€ superior: FIRE 3 meses antes
  • Poupança mensal 200€ inferior: FIRE 4 meses depois
  • Despesas mensais no FIRE 200€ inferiores: FIRE 14 meses antes
  • Despesas mensais no FIRE 200€ superiores: FIRE 20 meses depois

Estas alterações mudam o prazo no máximo 1,5 anos para a frente ou para trás. Nada dramático!

Relembro que para a reforma ser antecipada basta conseguir chegar lá um ano antes! Eu estou a programar tudo para 30 anos antes, por isso era preciso uma desgraça muito grande para falhar neste objetivo. Mesmo que saia tudo bastante ao lado, continuo com muita margem de manobra para me conseguir reformar antecipadamente 😜

Há também vários tipos de FIRE que se podem perseguir. Neste momento nem sequer tenho a certeza de querer o FIRE tradicional… Estou mais inclinada para o FIRE Flamingo. 🦩

DA TEORIA À PRÁTICA

Ok, o plano teórico está feito. O que fazer a seguir?

  1. Abrir conta nas corretoras/bancos que têm disponíveis os ativos nos quais queremos investir
  2. Investir mensalmente o montante definido, de acordo com as percentagens escolhidas
  3. Continuar todos os meses durante os próximos anos

A prática não é tão linear como a teoria.

O investimento mensal nem sempre será o mesmo. Há meses em que recebemos o subsídio de natal e temos mais dinheiro disponível para investir e outros em que temos de pagar a revisão do carro e poupamos apenas metade do habitual.

O retorno dos investimentos considerado nas simulações é um valor médio, o que significa que haverá anos em que será 30% positivo e outros em que será 20% negativo.

Por todas estas variáveis, haverá alturas em que estaremos abaixo das previsões e outras em que estaremos acima. O importante é manter a consistência e seguir o plano, independentemente do ruído de fundo.

So far so good!

Área lilás é a realidade, linha rosa é a expectativa.

BONS INVESTIMENTOS!

Disclaimer: A autora do blog Dama de Ouros não fornece recomendações ou aconselhamento financeiro. Todo o conteúdo presente neste blog tem apenas fins informativos e educacionais, sendo qualquer decisão de investimento da responsabilidade do leitor.

2 thoughts on “FIRE em 6 anos – o meu plano

  1. Comecei a ler agora o teu blog que encontrei por acaso ao pesquisar por análises à Trade Republic e do pouco que li estou a achar extremamente interessante. Espero aprender mais neste meu início de jornada de investidor.
    Continua o excelente trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *